Hino de Bayonne

Por Andreia Leite a sábado, julho 31, 2010 0 Comentários
video

Ainda no autocarro já se faz sentir a folia, prometendo mais uma noite de encontros e desencontros, danças e cantorias, brindes e fotografias!

Por entre a multidão cortamos caminho em direcção a um dos palcos da cidade. Para não perdermos ninguém agarramo-nos ao lenço vermelho que está preso à cintura do que está à nossa frente e lá vamos nós em filinha pirilau!

À medida que vamos avançando, vou-me metendo com quem passo "OLÉÉÉÉÉ!" e recebo de volta um cumprimento acompanhado por um levantar do chapéu ou de um copo meio cheio/meio vazio "OLLLLÉÉÉÉ"

Paro quando sinto o lenço vermelho apertar-me a barriga, o que me indica que os que estão atrás de mim estão com dificuldades em acompanhar os da frente. Paro eu, e param todos os que estão à minha frente, ao sentirem o mesmo aperto que eu. E assim, devagar devagarinho, parando e andando, lá chegamos todos juntos ao nosso destino, mesmo a tempo de ouvir o hino de Bayonne.

Todos agarram nas mãos os pequenos lenços que trazem ao pescoço e cantam...

video

"Allez Allezz!
Le Bleu est Blanc
De l'Avirons Bayonnais
C'est la Peña,
C'est la Peña Baiona
On est tous lá
Allez les gars
Encore une fois!"


Outros em vez de dançarem sentam-se no chão encaixados em fila, e seguram quem se aventura a passar por cima, fazendo um paquito!

Embalada pela música, dou por mim a fazer o mesmo, ora sentada fazendo força com os braços para ninguém me cair em cima, ora deslizando por cima do paquito a uma velocidade destrambelhada. UUAAUU!!! Acontece tudo tão rápido que a única coisa que me dou conta é da iminência de me deixarem cair a qualquer momento!

Cheguei ao fim com a vontade de dizer "encore une fois": repetir o paquito, repetir o hino de Bayonne, e repetir esta festa maravilhosa!

Fêtes de Bayonne

Por Andreia Leite a sexta-feira, julho 30, 2010 0 Comentários

Abro a mala... Que roupa hei-de vestir?! As cores não variam muito: branco ou... branco! Então branco será!

Ato o lenço grande vermelho à cintura, e no pescoço coloco o pequeno lenço que o Aurelien me deu. Bem, agora que estou vestida a rigor, siga para a festa!


Bayonne é uma cidade situada aos pés dos Pirinéus, no sul de França. É uma cidade romântica que em tempos de festa como este veste-se de branco puro com um toque vermelho sedutor! É mandatório este traje. E todos que saiem à rua se vestem assim: pai, mãe, avó, avô, tio, filho, sobrinho, gato, cão, piriquito...


São quase 13h, e as ruas estão cheias de gente, alguns em busca de um restaurante com mesa livre, outros de sandes na mão, há quem caminhe por entre a multidão com a toalha às costas a caminho do autocarro que vai para a praia de Biarritz. Nós somos como estes últimos!

Durante estes quatro dias de festa, a rotina para muita gente é simples: acordar às 11h, comer e ir para a praia, voltar para o acampamento, arranjar-se e juntar-se à multidão nas ruas para cantar, dançar, conviver até amanhecer, depois dormir e acordar às 11h, comer e ir para a praia...

Apesar desta festa ser famosa pelos touros, eu confesso que ainda não vi nenhum! As touradas passam-se em recintos apropriados, na mesma altura que estou na praia. Não foi nada difícil escolher: PRAIA!

Bem, e a caminho da praia contemplo as fachadas dos edificios de onde se abrem janelas com portadas azuis, verdes, vermelhas, amarelas, conferindo um toque divertido a esta paisagem. As ruas estreitas e antigas como eu adoro...bandeirinhas vermelhas, brancas e verdes a abanarem ao ritmo da brisa suave que se faz sentir.


video

O barulhinho de fundo que soa cada vez mais alto, revela-me que me estou a aproximar de uma banda (mais uma!) que enche as ruas de sons... saxofones, trompetes, bombos, tambores... Não importa o que eles tocam na verdade, é animado e toda a gente na rua sacode o pó do corpo, de uma forma harmoniosa, a que chamo dançar!


Atravessamos uma das pontes de pedra que unem as margens do rio La Nive, e por entre estas ruas estreitinhas surgem duas torres que culminam num telhado ponteagudo a rasgar a céu. É a catedral de Bayonne.

Caminhamos mais um pouco, atravessamos o parque com as actracções, rodeados de pequenas barraquinhas que vendem algodão-doce, pipocas, gelados... somos alvo de uma chuva de confetis que umas crianças atiram para cima de nós enquanto correm à nossa volta!


Paramos numa loja para comprar postais, eu adoro comprar postais! :D E entramos no autocarro, que por sinal está apinhado de gente, consigo mesmo sentir o cheiro a pastilha de morango da pessoa ao meu lado. O autocarro arranca e o dia desenrola-se na rotina desta festa!

Cheguei a Bayonne! Uff!

Por Andreia Leite a quinta-feira, julho 29, 2010 2 Comentários
Depois de 16h dentro de um autocarro, sem conseguir comer nada, pois tenho o estômago muito sensível, lá me mandam sair, cheguei ao meu destino: BAYONNE, sul de França!

O condutor tinha-me dito que a paragem do autocarro mudara devido ao trânsito cortado no centro da cidade por causa das festas, mas não estava à espera de ser deixada numa grande rotunda, onde à volta só há armazéns.

É 1h20 da noite, e o motorista do autocarro explica-me o caminho para o meu destino: a estação de comboios no centro da cidade: "... São mais ou menos 2 km menina naquela direcção, está a ver ali a placa azul ao fundo?, vira aí ..." Uff!

O meu amigo não me atende, não há táxis, nem eu tenho o número para chamar algum. Tenho que fazer alguma coisa...

Começo a caminhar até que decido perguntar a uns estrangeiros que estavam de carro a tentar entrar na rotunda:
- "WAIT WAIT! Sorry, where are you going?"
E tive a sorte de ouvir como resposta:
- "To the train station, but we are lost!"
UAU! pensei. Disse-lhes que sabia o caminho e pedi-lhes boleia!
Segundos depois já estava eu dentro do carro de um casal da República Checa que discutia imenso entre eles, e que também vinham às festas.

Em 10 min já estava no meu meeting point!

Reina um espirito de festa em todas as ruas e a aventura começou... la Fêtes de Bayonne!

 

O Mundo nas Minhas Mãos Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos